quarta-feira, 13 de maio de 2015

A VIDA DOS HAITIANOS EM SÃO PAULO

Caros leitores, esse é a minha primeira reportagem e espero que goste. Vou colocar uma reportagem a cada semana, pois estou em semana de trabalhos e provas na faculdade e está um pouco corrido, mais a tendência é de duas reportagens por semana.

A primeira reportagem foi sobre o tema: A vinda dos haitianos para a cidade de São Paulo.

Eu fui até a Paróquia Nossa Senhora da Paz, que fica localizada no bairro do Glicério região central de São Paulo, estive lá durante três dias para entrevistar os imigrantes e saber como estão vivendo deste que chegou à São Paulo, muitos estão vivendo no abrigo que a igreja oferece, hoje estão hospedados em torno de 70 haitianos na parte interior da paróquia, outras centenas vivem de aluguel em lugares precários com preços absurdos. Estive entrevistando o Padre Paolo Paresi sobre o caso, o mesmo nasceu na cidade de Marostica que se localiza no nordeste da Itália, lá ele auxiliava os africanos que chegavam a Europa cruzando o mar mediterrâneo. "Lá na Itália tive a minha primeira experiência com os imigrantes, pois eu era de um grupo de padres que acolhiam os imigrantes, e passava por cidades como Grappa, Veneto, Puglia e Roma em atuar com os imigrantes".

Segundo o padre muitos vem para o Brasil com muitas ambições. "Os haitianos chegam em São Paulo achando que vai ganhar em dólar, mais o que encontra é serviços que é mal remunerado, e muitos choram e acaba se arrependendo de ter vindo". O padre diz que o trabalho da mídia está sendo bom, pois está mostrando a todos a história para o brasileiro, e pergunto se a prefeitura está ajudando em alguma coisa. " Esses dias esteve o governador Geraldo Alckmin aqui, ofereceu ajuda, mais até agora a paróquia está sozinha nessa campanha".

Em uma entrevista com o haitiano Henry de 40 anos que está em São Paulo a 3 meses, o mesmo acha que fosse mais fácil de achar trabalho no país. "Vim para o Brasil para conseguir um emprego, mais até agora está difícil". De 2009 até 2015 milhares já desembarcaram em São Paulo, para Henry as grandes cidades é o destino dos haitianos. "Nós (haitianos) estamos indo para a cidade de São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília, nesses lugares é mais fácil de arranjar um serviço do que nas cidades menores".

No terceiro dia fui para terminar a reportagem, ao me identificar como um repórter, muitos já vieram contando das as suas histórias e vidas, muitos mostraram a carteira de trabalho que conseguiram emitir no Brasil, um mostrou o visto para poder permanecer no país, com tudo isso eles alegam que está difícil de conseguir serviço. No meio desse povo, queria muito poder ajudar de alguma forma, mais diante da impotência do fato, o que posso fazer é divulgar e passar essas histórias para que o brasileiro se sensibilize.

A Paróquia Nossa Senhora da Paz foi fundada em 1940, com o objetivo de acolher os imigrantes italiano, mais com o tempo foi acolhendo africanos, coreanos, vietnamitas e agora haitianos, o programa que acolhe a imigração haitiana se chama Missão Paz que começou em 2009. E para quem quiser doar alimentos, eles estão precisando de arroz, feijão, macarrão e também de produtos de limpeza, como cândida, sabão em pó entre outros produtos.

O endereço é Rua do Glicério N° 225, Liberdade, São Paulo - SP

Dezenas de haitianos na Paróquia da Nossa Senhora da Paz (FOTO: Gabriela Maruyama)

Um dos imigrantes haitianos (FOTO: Guilherme Meirelles)
Padre Paolo Paresi, responsável pelo Instituto Missão Paz (FOTO: Eduardo Pires)
                               
Um grupo de haitianos esperando por abrigo e trabalho (FOTO: Eduardo Pires)