quarta-feira, 22 de junho de 2016

38 estações da CPTM não tem acessibilidade para pessoas com deficiência física ou com mobilidade reduzida

Os usuários da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) sempre reclamam da falta de segurança e desconforto nos trens. Os Furtos e o assédio sexual dentro dos trens é, quase que corriqueiro nos horários de pico – 6h às 9h período da manhã e 16h às 19h período da tarde.

Para as pessoas que têm deficiência ou mobilidade reduzida, gestante e pessoas com criança de colo, a situação complica ainda mais em algumas estações. A reportagem flagrou estações de trem sem acessibilidade como: elevadores ou escadas rolantes e, o desnivelamento do piso do trem para a plataforma - chega a passar de 20 cm de altura.

O flagrante aconteceu nas estações de Aracaré, Linha 11 - Safira (Brás – Calmon Viana) e Brás Cubas, Linha 11 – Coral (Luz – Guaianazes – Estudantes).

Na estação de Aracaré o que se pode observar é a falta de estrutura das plataformas (desnivelamento entre o piso do trem e a plataforma), escadas com acesso a estação estão velhas e a falta de mapas em braile – usados pelos deficientes visuais nas plataformas e escadas.

      Escada que dá acesso a estação de Aracaré (FOTO: Eduardo Pires)

Segundo Ernades, de 57 anos, as condições da estação de Aracaré são precárias. “Todos os dias tenho que subir 98 degraus até chegar a plataforma, como ando de muletas (Ernandes fez uma operação nas costas), uma escada rolante e elevador faz falta nessas horas”. Segundo o usuário, a falta de respeito por parte dos funcionários deixa a desejar. “Esses dias o funcionário da CPTM não quis abrir o portãozinho para mim, queria que eu passasse na catraca, não tem como eu passar usando as muletas”.

A situação da estação de Brás Cubas não fica muito atrás. A falta de escadas rolantes e elevadores, os usuários preferenciais têm dificuldades para acessar as dependências da estação. O desnivelamento do piso do trem e a plataforma, faz chamar a atenção das pessoas. Um segurança terceirizado não quis falar sobre os problemas.

A falta de acessibilidade na estação de Brás Cubas é nítida (FOTO: Eduardo Pires)

Segundo a Assessoria de Imprensa da CPTM, das 92 estações, 38 estações não têm nenhuma acessibilidade. De acordo com a CPTM, eles estão em busca de recursos para tornar todas as estações acessíveis as pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida.
                              Cerca de 20 cm de altura diferencia da plataforma para o piso do trem na estação de Brás Cubas                                                                                                             (FOTO: Eduardo Pires)