Pular para o conteúdo principal

38 estações da CPTM não tem acessibilidade para pessoas com deficiência física ou com mobilidade reduzida

Os usuários da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) sempre reclamam da falta de segurança e desconforto nos trens. Os Furtos e o assédio sexual dentro dos trens é, quase que corriqueiro nos horários de pico – 6h às 9h período da manhã e 16h às 19h período da tarde.

Para as pessoas que têm deficiência ou mobilidade reduzida, gestante e pessoas com criança de colo, a situação complica ainda mais em algumas estações. A reportagem flagrou estações de trem sem acessibilidade como: elevadores ou escadas rolantes e, o desnivelamento do piso do trem para a plataforma - chega a passar de 20 cm de altura.

O flagrante aconteceu nas estações de Aracaré, Linha 11 - Safira (Brás – Calmon Viana) e Brás Cubas, Linha 11 – Coral (Luz – Guaianazes – Estudantes).

Na estação de Aracaré o que se pode observar é a falta de estrutura das plataformas (desnivelamento entre o piso do trem e a plataforma), escadas com acesso a estação estão velhas e a falta de mapas em braile – usados pelos deficientes visuais nas plataformas e escadas.

      Escada que dá acesso a estação de Aracaré (FOTO: Eduardo Pires)

Segundo Ernades, de 57 anos, as condições da estação de Aracaré são precárias. “Todos os dias tenho que subir 98 degraus até chegar a plataforma, como ando de muletas (Ernandes fez uma operação nas costas), uma escada rolante e elevador faz falta nessas horas”. Segundo o usuário, a falta de respeito por parte dos funcionários deixa a desejar. “Esses dias o funcionário da CPTM não quis abrir o portãozinho para mim, queria que eu passasse na catraca, não tem como eu passar usando as muletas”.

A situação da estação de Brás Cubas não fica muito atrás. A falta de escadas rolantes e elevadores, os usuários preferenciais têm dificuldades para acessar as dependências da estação. O desnivelamento do piso do trem e a plataforma, faz chamar a atenção das pessoas. Um segurança terceirizado não quis falar sobre os problemas.

A falta de acessibilidade na estação de Brás Cubas é nítida (FOTO: Eduardo Pires)

Segundo a Assessoria de Imprensa da CPTM, das 92 estações, 38 estações não têm nenhuma acessibilidade. De acordo com a CPTM, eles estão em busca de recursos para tornar todas as estações acessíveis as pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida.
                              Cerca de 20 cm de altura diferencia da plataforma para o piso do trem na estação de Brás Cubas                                                                                                             (FOTO: Eduardo Pires)

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Projeto Centro Aberto deixa a cidade de São Paulo mais harmonizada

Com cadeiras de praia e jogos de tabuleiro, as pessoas esquecem por alguns instantes a preocupação do dia a dia.



A cidade de São Paulo está ganhando nova cara. Jogos de tabuleiro como: dominó, dama e xadrez, e mesas de ping pong, ilustra a cidade com ar de lazer e aos poucos tirar a marca registrada da cidade, considerada uma “selva de pedra”.
O projeto Centro Aberto dá a oportunidade para os pedestres relaxar quando estiverem cansados, ou até mesmo, sair do serviço e jogar um jogo de tabuleiro de xadrez gigante para esquecer os dias corridos que a capital paulista proporciona. Desenvolvido e implantado por meio de colaboração de diversas secretárias municipais como: Secretária de Desenvolvimento Urbano, Secretária de Serviços, Secretária de Assistência e Desenvolvimento Social, Secretária de Direitos Humanos e Cidadania, Secretária de Segurança Urbana e Secretária de Cultura.O Centro Aberto também recebeu apoio do Metrô, que cedeu lugares para as construções das praças.
Cadeiras de prai…

Edifício Altino Arantes “banespão” completa 69 anos de beleza e modernidade

O projeto do edifício foi modificado para fazer referência ao Empire State Building de Nova York
Hoje o Edifício Altino Arantes completa 69 anos, falando pelo nome, ninguém deve saber qual prédio estou falando, mas se eu falar o “banespão”, todos irão saber.
No dia 27 de junho de 1947, a cidade de São Paulo ganhou um presente de 161 metros de altura, superando o Edifício Martinelli com 130 metros. O Edifício Altino Arantes se tornou em pouco tempo, o símbolo da cidade de São Paulo e o coração da cidade de São Paulo.
A história começou quando o Banco do Estado de São Paulo (Banespa) ficava na Praça Ramos de Azevedo, longe do centro financeiro da cidade – na época ficava nas ruas São Bento e XV de Novembro. Para ficar próximo ao centro comercial, os diretores do banco fizeram uma parceria com a Santa Casa da Misericórdia e compraram alguns imóveis. Com a demolição de algumas casas, foi erguido o edifício na Rua João Brícola, se tornando o maior prédio do Brasil, com seus 161 metros distri…

Investigação do NI denúncia nutrição de hospital particular de SP

Nutrição do Hospital Santa Clara e suas más condições de trabalho

Mamão estragada sendo entregue para pacientes e acompanhantes (FOTO: Eduardo Pires) Frutas estragadas; verduras apodrecendo; panelas sujas; vasilhas e panelas com urinas e fezes de ratos; carne vencida sendo entregues para pacientes, acompanhantes e funcionários; ratoeiras no estoque de alimentos do setor de nutrição; embalagens roídas pelos ratos que andam pelos lugares da cozinha, estoque e corredor do setor; alimentos sendo armazenados de forma incorreta, fazendo com que os produtos ficam expostos as bactérias e fungos do lugar; entre outros agravantes.
Esses casos ocorreram até o dia 30 de outubro no Hospital Santa Clara, na Vila Matilde, Zona Leste de São Paulo. Infestações de baratas, ratos, mosquitos e cupins fizeram do lugar uma desordem. Até o último dia do mês 10, a cozinha do hospital viveu dias de caos e funcionários convivendo com todo este tipo de infrações graves. Responsáveis pelo setor e também do hospital…