Pular para o conteúdo principal

5 motivos para os palmeirenses já comemorar o título e 5 motivos para esperar a hora certa

O Palmeiras é um dos maiores times do Brasil e do mundo, mas alguns episódios fazem o palmeirense ficar pensativo na hora de comemorar um título que está próximo, mas não definido.

          Palmeirenses já comemoraram muito, mas também já presenciaram muitas tragédias (FOTO: Montagem)

O Palmeiras está com a faca e o queijo na mão para comemorar o seu nono título do campeonato brasileiro, um título que não conquista há 22 anos. Com quatro pontos na frente do segundo colocado, o Santos, o time alviverde terá três compromissos – dois jogos em casa e o último fora - para se sagrar campeão e tirar um peso que já dura duas décadas de não conquistar o nacional.

Listamos aqui os cinco motivos para os palmeirenses comemorar o título antecipadamente, independente se matematicamente já é campeão ou não. E os outros cinco motivos para deixar os santistas e flamenguistas com alguma esperança, mesmo que seja quase remota essa possibilidade.

CINCO MOTIVOS PARA OS PALMEIRENSES TER UM FINAL FELIZ EM DEZEMBRO

1. UNIÃO DO GRUPO: Nunca se viu um elenco do Palmeiras tão unido como esse do campeonato brasileiro, depois das eliminações no Paulistão e Liberadores, o técnico Cuca deu uma nova cara para o Palmeiras. O goleiro Jailson reserva do Fernando Prass - este último incontestável no gol do verdão - segurou a barra e está invicto no Palmeiras, até agora não perdeu com a camisa do Palmeiras. Com isso, o ídolo Fernando Prass entende que o momento é do companheiro. Além disso, não existe um titular absoluto, prova é o atacante Dudu e o lateral-esquerdo Zé Roberto que já ficaram no banco quando esteve em um momento baixo. Com respeito e união, o Palmeiras chega a 26ª rodada na liderança do torneio.

2. FATOR CASA: O Palmeiras é quase fatal jogando como mandante, só não é melhor quando comparado ao Atlético Paranaense, jogando na Arena da Baixada. Com 17 jogos sobre os seus domínios, o Palmeiras jogou dois jogos fora do Allianz Parque. Um jogo no Pacaembu na vitória contra o Grêmio por 4 a 3, e um jogo na Fonte Luminosa, em Araraquara, com um empate sem gols contra o Cruzeiro. Os 15 jogos no Allianz Parque, o Palmeiras venceu 11, empatou três e perdeu só uma. Os dois próximos compromissos serão contra o Botafogo e Chapecoense, na Arena, será que o título vem em alguns desses jogos?

3. ELENCO: O Palmeiras de 2015 tinha um elenco numeroso, porém, com qualidades nos setores de defasa, meio-campo e ataque. Chegou 2016 e o presidente Paulo Nobre investiu. Roger Guedes, Yerry Mina, Tchê Tchê e Jean, deram uma qualidade ainda maior ao Palmeiras. Dudu, Gabriel Jesus, Fernando Prass, Vitor Hugo, Zé Roberto dá ao Palmeiras formas diferentes de atuar em campo. O técnico Cuca pode escalar o time conforme o adversário, podendo alterar o esquema do 4-3-3 e mudar para o 4-4-2, sacando um dos atacantes e colocando uns dos meios-campistas, Allione ou Cleiton Xavier, para cadenciar mais o jogo.

4. DIRETORIA: Paulo Nobre chegou na presidência do Palmeiras em janeiro de 2013, a situação do clube era calamitosa. Com a disputa da Série B e devendo salários, Nobre conseguiu arrumar a casa aos poucos. Na primeira negociata dele, os palmeirenses se voltaram contra ele. Na época, ele trocou o atacante argentino Hernán Barcos por cinco jogadores do Grêmio (Rondinelly, Vilson, Leandro e Léo Gago) para a disputa da segundona. Quase quatro anos se passaram, e o Palmeiras hoje é um dos líderes no ranking dos sócios torcedores, renda líquida nos jogos do Palmeiras passa dos milhões de reais, lojas físicas em ruas e shoppings, e a contratação do diretor executivo, Alexandre Matos, como o seu braço direito para trazer reforços de qualidade. O Palmeiras de 2016 não é nem sombra daquele que o Paulo Nobre assumiu, em 2013.

5. TORCIDA: A torcida do Palmeiras comparece em peso para ver o seu time em campo. Com média de 31.545 pagantes por jogo e ocupação de 75% do estádio, os palmeirenses parecem mesmo acreditar nesse título. Prova disso é a festa que a torcida fez no Aeroporto de Congonhas, onde milhares de torcedores foram se despedir da delegação palmeirense que embarcou rumo a Belo Horizonte, para o jogo contra o Atlético Mineiro. Fato é, os jogadores sentem esse calor que é passado dos torcedores.

Palmeiras muito próximo de conquistar mais um título nacional, será o seu nono título do brasileiro (FOTO: Arquivo Google)

CINCO MOTIVOS PARA OS PALMEIRENSES FICAR COM O PÉ ATRÁS

1. PALMEIRAS SUCUMBIU PARA O GUARANI EM 1978: Talvez não seja uma “zebra” perder na final do campeonato brasileiro de 1978 para o Guarani. O time de Campinas tinha um esquadrão como: Zenon, Zé Carlos, Capitão e Careca. Mas, o Palmeiras tinha um elenco invejável, e um time que alguns anos antes tinha ganhado todos os títulos nacionais possíveis. Até hoje, o Guarani é o único time do interior no Brasil a conquistar o Campeonato Brasileiro da primeira divisão, e de quebra, foi em cima do imbatível, Palmeiras.

2. CAMPEONATO PAULISTA 1986: O Palmeiras viveu uma das maiores tramas de sua história, ter conseguido perder a final para a Inter de Limeira, em pleno Morumbi. Com dois jogos na final, o time de Limeira conseguiu segurar o Palmeiras no primeiro jogo. No segundo duelo, a Inter de Limeira conseguiu algo inédito, ser o primeiro time do interior a conquistar o Paulistão. Só restou aos palmeirenses comemorar a eliminação do Corinthians na semifinal frente ao Palmeiras.

3. VIRADA HISTÓRICA DO VASCO NA MERCOSUL DE 2000: Para o palmeirense, 20 de dezembro de 2000 foi um inferno, para os vascaínos, uma glória. Palmeiras com um esquadrão bancada pela Parmalat, conseguiu tomar uma virada no Palestra Itália depois de estar ganhando por 3 a 0. Com gols de Juninho Paulista e três do Romário, eles transformaram a palavra impossível em milagre. O jogo foi 4 a 3 para a equipe carioca, e os palmeirenses saíram sem acreditar no que tinham visto naquela noite de quarta-feira. A Copa Mercosul de 2000 ficou sempre marcada nas memórias dos palmeirenses, e principalmente, na dos vascaínos.

4. PALMEIRAS PERDE UM CAMPEONATO GANHO EM 2009: Quando o Campeonato Brasileiro de 2009 estava chegando na sua reta final, o Palmeiras estava na liderança com muitos pontos em relação ao segundo colocado. Mas as contusões, convocação de jogadores para a seleção brasileira e brigas internas, fizeram o Palmeiras colocar tudo a perder. O time alviverde só não perdeu o título, mas acabou ficando de fora da Libertadores de 2010. O título ficou com o Flamengo e um episódio deixou o grupo em alerta, agressão que o atacante Vagner Love sofreu de alguns integrantes da Mancha Alviverde, alguns dias antes da última partida na competição contra o Botafogo, no Rio de Janeiro.


5. GOIÁS CALA O PACAMEBÚ LOTADO EM 2010: Semifinal da Copa Sul-Americana de 2010, o Palmeiras enfrentou o time do Goiás, o que a torcida não esperava era que mais uma tragédia estava sendo escrita nos seus próprios olhos. No primeiro jogo, no Serra Dourada, o Palmeiras ganhou. No jogo da volta em São Paulo, Palmeiras abriu o placar com o atacante Luan, porém, Carlos Alberto e o atacante, Rafael Moura, decretaram a virada e a eliminação do Palmeiras. Talvez essa seja uma das maiores marcas negativas da história do Palmeiras recentemente. 

Atacante Kléber mostra no semblante como foi a eliminação do Palmeiras na Copa Sul-Americana de 2010 (FOTO: Gazeta Press)

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Projeto Centro Aberto deixa a cidade de São Paulo mais harmonizada

Com cadeiras de praia e jogos de tabuleiro, as pessoas esquecem por alguns instantes a preocupação do dia a dia.



A cidade de São Paulo está ganhando nova cara. Jogos de tabuleiro como: dominó, dama e xadrez, e mesas de ping pong, ilustra a cidade com ar de lazer e aos poucos tirar a marca registrada da cidade, considerada uma “selva de pedra”.
O projeto Centro Aberto dá a oportunidade para os pedestres relaxar quando estiverem cansados, ou até mesmo, sair do serviço e jogar um jogo de tabuleiro de xadrez gigante para esquecer os dias corridos que a capital paulista proporciona. Desenvolvido e implantado por meio de colaboração de diversas secretárias municipais como: Secretária de Desenvolvimento Urbano, Secretária de Serviços, Secretária de Assistência e Desenvolvimento Social, Secretária de Direitos Humanos e Cidadania, Secretária de Segurança Urbana e Secretária de Cultura.O Centro Aberto também recebeu apoio do Metrô, que cedeu lugares para as construções das praças.
Cadeiras de prai…

Edifício Altino Arantes “banespão” completa 69 anos de beleza e modernidade

O projeto do edifício foi modificado para fazer referência ao Empire State Building de Nova York
Hoje o Edifício Altino Arantes completa 69 anos, falando pelo nome, ninguém deve saber qual prédio estou falando, mas se eu falar o “banespão”, todos irão saber.
No dia 27 de junho de 1947, a cidade de São Paulo ganhou um presente de 161 metros de altura, superando o Edifício Martinelli com 130 metros. O Edifício Altino Arantes se tornou em pouco tempo, o símbolo da cidade de São Paulo e o coração da cidade de São Paulo.
A história começou quando o Banco do Estado de São Paulo (Banespa) ficava na Praça Ramos de Azevedo, longe do centro financeiro da cidade – na época ficava nas ruas São Bento e XV de Novembro. Para ficar próximo ao centro comercial, os diretores do banco fizeram uma parceria com a Santa Casa da Misericórdia e compraram alguns imóveis. Com a demolição de algumas casas, foi erguido o edifício na Rua João Brícola, se tornando o maior prédio do Brasil, com seus 161 metros distri…

19° PARADA DO ORGULHO LGBT 2015

Avenida Paulista recebeu hoje o 19° Parada do Orgulho LGBT (Lésbica, Gay, Bisexual, Transexual), o evento é um dos mais importantes no calendário paulistano e todo ano toma conta da maior avenida do pais com festa, divertimento e músicas com os dezoito trios elétricos espalhados pela avenida. A via foi fechada por volta das 11h00 e as ruas que cruzam também foram bloqueadas, aos poucos a paulista foi ganhando forma com seus frequentadores com os trajes típicos e também pelos simpatizantes.

A Parada começou 12:30 com o primeiro trio elétrico saindo do MASP e seguindo para a consolação, em cima estava a ex-prefeita Marta Suplicy e o ex-senador Eduardo Suplicy dando as palavras contra o preconceito. Com o tempo a paulista foi ganhando mais frequentadores e consequentemente os furtos e assalto, o Marcelo de 52 anos disse que a Parada não é uma luta por um ideal. “ Gostaria de um pouco menos de festa e mais dignidade, mais respeito e mais luta coisa que a gente não vê hoje, hoje está parece…