segunda-feira, 7 de novembro de 2016

Projeto Centro Aberto deixa a cidade de São Paulo mais harmonizada

Com cadeiras de praia e jogos de tabuleiro, as pessoas esquecem por alguns instantes a preocupação do dia a dia.


Largo São Bento foi o último a receber o projeto Centro Aberto (FOTO: Eduardo Pires)

A cidade de São Paulo está ganhando nova cara. Jogos de tabuleiro como: dominó, dama e xadrez, e mesas de ping pong, ilustra a cidade com ar de lazer e aos poucos tirar a marca registrada da cidade, considerada uma “selva de pedra”.

O projeto Centro Aberto dá a oportunidade para os pedestres relaxar quando estiverem cansados, ou até mesmo, sair do serviço e jogar um jogo de tabuleiro de xadrez gigante para esquecer os dias corridos que a capital paulista proporciona. Desenvolvido e implantado por meio de colaboração de diversas secretárias municipais como: Secretária de Desenvolvimento Urbano, Secretária de Serviços, Secretária de Assistência e Desenvolvimento Social, Secretária de Direitos Humanos e Cidadania, Secretária de Segurança Urbana e Secretária de Cultura. O Centro Aberto também recebeu apoio do Metrô, que cedeu lugares para as construções das praças.

Cadeiras de praia, e mesas e cadeiras de ferro, mostra um conceito novo. Olhando de perto o projeto, o ar é de total liberdade e descanso. A imagem remete a lugares litorâneos, mas quando se atenta mais um pouco, percebe-se que está na maior cidade do Brasil, com carros, ônibus e pessoas fazendo movimentos constantes e barulhos de buzinas e gritos.

O jogo de xadrez gigante é bastante disputado para a jogatina (FOTO: Eduardo Pires)

O Centro Aberto teve início em 2014, com os projetos pilotos implantados nos Largos São Francisco e Paissandu. O Largo São Bento foi inaugurado no dia 8 de setembro de 2016, até o final do ano a Rua Galvão Bueno ganhará também a praça com cadeiras de praia e ar de paz. Todos as praças ficam localizados na Região Central da cidade.

Os Largos São Bento e São Francisco, contém 60 cadeiras de praia, 30 mesas de ferro e mais 60 cadeiras de ferro, jogo de tabuleiro gigante de xadrez no chão, e mesa de ping pong. Já o Largo do Paissandu, possui um terreno menor, por isso, a quantidade de cadeiras é menor, e o jogo de tabuleiro gigante de xadrez não tem, no lugar foi feito um playground para as crianças brincar. Além de ter em todas as praças, livros para poder pegar ou doar.

Na parta do contêiner, os dias do mês são marcados e um aviso “doa um livro aqui” (FOTO: Eduardo Pires)
Para o Felipe, 17, Office Boy, esse projeto favorece para a socialização entre as pessoas. “Vejo que está sempre cheio aqui (Largo do Paissandu), como trabalho na rua, eu paro para jogar um pouco e depois volto para o serviço, na Sé”.

Largo São Francisco foi um dos primeiros a ser implantado o Centro Aberto (FOTO: Eduardo Pires)
Ping Pong é uma das principais atrações do Centro Urbano (FOTO: Eduardo Pires)
             A praça no Largo São Bento era em 2014 estacionamento pertencente ao Metrô (FOTO: Eduardo Pires)