Pular para o conteúdo principal

São Paulo recebe as novidades do automobilismo em novo local

São Paulo Expo recebe pela primeira vez o Salão Internacional do Automóvel de São Paulo.
      Renault Fórmula 1 está presente no evento (FOTO: Eduardo Pires)
O Salão Internacional do Automóvel de São Paulo 2016 abriu as portas nesta quinta-feira (10), com mudanças significativas. O local saiu do tradicional Anhembi, na Zona Norte, onde realizava o evento há 46 anos, e migrou para o São Paulo Expo, na Zona Sul.
Com uma área total de 90 mil m², o salão mostrou para os visitantes uma enorme variedade de marcas, veículos e entretenimentos. Marcas cobiçadas como Masserati e Porsche, teve os seus stands para o público poder apreciar as raridades das montadoras. Agora quem veio com esperanças de ver os carros dos “sonhos”, não ficaram muito felizes. Ferrari e Lamborghini, não tiveram um espaço só delas, apenas a Lamborghini Huracan, e a Ferrari F12 Berlinetta, puderam ter o prazer de satisfazer o olhar daqueles apaixonados pelas marcas esportivas.
O salão propiciou grande entretenimento por parte das montadoras para os visitantes. Test drivers, jogos em simuladores de games e brindes, fizeram o público perder minutos para ter alguns minutos de prazer.
As novidades não foram poucas, carros futuristas da Mercedes-Benz (Concept Iaa) Volkswagen (Golf GTI Sport), e os carros de corrida, como o Renault (Fórmula 1) modelo 2016 e o Porsche (Le Mans) também agitaram o Salão do Automóvel.
Os carros nacionais com previsão de chegada para o Brasil, agradou ao público.
A nova versão do Fiat Toro Volcano 2017, quatro portas, é um dos principais lançamentos da montadora italiana. O veículo a base de diesel, terá 2.0 com 16V, chegando a potência máxima em 170 km/h.
A Ford se destacou com o modelo Edge Titanium 3.5 V6, com teto solar panorâmico e DVD. O principal item é a digital analógica na porta do motorista, e sensor de pé para destravar a porta mala. Para quem é amante da velocidade, o Edge pode alcançar 284 km/h. O preço do veículo está na faixa dos R$229,000.
O Chevrolet Cruze modelo LTZ, 1.4 turbo, deu uma repaginada no seu design. A beleza do veículo chama a atenção, mas o que mais agradou, foi a tecnologia implantada nele. Sensor de faixa e o ponto cego, foram adquiridas para o modelo LTZ, trazendo mais segurança para o motorista e passageiros. O farol de lead e a chave de bolso – o veículo liga apenas apertando um botão – são acessórios indispensáveis para aqueles que busca um conforta a mais.  
Com tecnologia e design inovador, o Chevrolet Cruze chega ao Brasil em dezembro (FOTO: Eduardo Pires)
A Volkswagen trouxe o Golf GTI, 2.0I TSI. Com motor de 2.0 (220cv), atingindo de 0 a 100 em apenas 7,2 segundos. O esportivo chega numa velocidade de até 244 km/h, e o preço dele no Brasil não sairá por menos de R$ 100,000.

O evento tem mais de 540 veículos de 32 marcas diferentes, mais de 100 lançamentos e 120 expositores. Segundo os organizadores do evento, cerca de 750 mil pessoas devem passar pelo salão do automóvel, sendo que, o público feminino deve representar 40% do total. O evento deve ainda movimentar R$ 320 milhões na cidade de São Paulo. 
    O futuro da Mercedes-Benz, o Concept Iaa (FOTO: Eduardo Pires)
A Volkswagem trouxe o Golf GTI Sport, será o novo futuro do modelo? (FOTO: Eduardo Pires)
Não tem previsão de chegada do conversível da Fiat 124 Spider (FOTO: Eduardo Pires)
As belas modelos também foram o diferencial no salão do automóvel (FOTO: Eduardo Pires)

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Palmeiras avassalador não dá chances para o São Paulo no Morumbi

Em clássico quente e disputa pelas primeiras posições, Palmeiras leva a melhor e quebra mais um tabu no ano. Torcida do São Paulo lota o Morumbi para ver mais um tropeço do time (FOTO: Eduardo Pires) Os 56.694 são paulinos que foram até o Estádio do Morumbi viram os 16 anos de tabu cair por terra. Os palmeirenses comemoram a vitória em mais um clássico, e de quebra a liderança folgada no Campeonato Brasileiro. Agora já são três pontos que separam o time alviverde para o Internacional, 56 contra 53. O time escalado por Felipão mesclando o time titular com jogadores “reservas” anularam totalmente o time do São Paulo. Diego Aguirre deixou no banco Everton e Arboleda, e apostou nas entradas de Rodrigo Caio e Bruno Alves, assim jogando com três zagueiros. Isso foi avassalador para o Palmeiras se sentir em casa e comandar a vitória no primeiro tempo. Meio-campo forte com Felipe Melo, Moises e Lucas Lima, Felipão viu a sua equipe ter toque de bola refinado e tranquilidade

Edifício Altino Arantes “banespão” completa 69 anos de beleza e modernidade

O projeto do edifício foi modificado para fazer referência ao Empire State Building de Nova York Hoje o Edifício Altino Arantes completa 69 anos, falando pelo nome, ninguém deve saber qual prédio estou falando, mas se eu falar o “banespão”, todos irão saber. No dia 27 de junho de 1947, a cidade de São Paulo ganhou um presente de 161 metros de altura, superando o Edifício Martinelli com 130 metros. O Edifício Altino Arantes se tornou em pouco tempo, o símbolo da cidade de São Paulo e o coração da cidade de São Paulo. A história começou quando o Banco do Estado de São Paulo (Banespa) ficava na Praça Ramos de Azevedo, longe do centro financeiro da cidade – na época ficava nas ruas São Bento e XV de Novembro. Para ficar próximo ao centro comercial, os diretores do banco fizeram uma parceria com a Santa Casa da Misericórdia e compraram alguns imóveis. Com a demolição de algumas casas, foi erguido o edifício na Rua João Brícola, se tornando o maior prédio do Brasil, com seus 161

Edifício Wilson Paes de Almeida: Dez dias de dor, sofrimento, angústia e no fundo uma esperança

Moradores do prédio acampam no Largo do Paissandu esperando um desfecho da prefeitura da cidade em relação à moradia para eles. Vítimas do desabamento se aglomeram para pegar um prato de comida (FOTO: Eduardo Pires) Há de dez dias a cidade de São Paulo parava para acompanhar o desabamento do Edifícil Wilson Paes de Almeida. O local abrigou a sede da Polícia Federal e Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), além de ser um patrimônio histórico tombado em 1992. Dos 24 andares que ostentava um edifício todo espelhado no Largo do Paissandu, Região Central de SP, nada sobrou, levando a metade de uma igreja luterana centenária abaixo. O local abrigava mais de 50 famílias que lutam por moradia através dos movimentos sociais. Cerca de 250 pessoas saíram ilesos do desastre do dia 1° de maio, Dia do Trabalhador, mas também sem um teto para pelo menos dormir. Outras cinco pessoas até o fechamento dessa matéria não tiveram a mesma sorte e acabaram morrendo.   A Praça em frent