Pular para o conteúdo principal

A semana começou verde, terminou mais verde ainda

Título do Palmeiras e a tragédia da chapecoense fizeram todos adotar a cor verde como a segunda pele.

Um título que o torcedor palmeirense não via há 22 anos, o campeonato brasileiro conquistado em 1994 pelo verdão foi deixado para trás no último domingo (27/11), quando o time alviverde conquistou o seu nono título brasileiro, e o seu décimo terceiro título nacional (9 Campeonatos Brasileiros, 3 Copas do Brasil e 1 Copa dos Campeões).

A segunda-feira (28/11) começou bonito na cidade de São Paulo, todo mundo verde de alegria, felicidade e em paz. Camisetas do Palmeiras fizeram não só os paulistanos, mas o Brasil inteiro um pouco mais verde. Quis o destino que poucas horas depois da conquista, o Brasil e o mundo virasse os olhares para um time também verde.

Na terça-feira logo de manhã, todos ficaram perplexos com a tragédia em torno do voo da LaMia 2933, que saiu da cidade de Santa Cruz de La Sierra, na Bolívia, e tinha como destino a cidade de Medellín, na Colômbia. Mas o voo foi interrompido na Cerra Gordo, onde o avião acabou se chocando com o morro, vitimando 77 pessoas, onde 71 perderam as suas vidas e outras 6 ficaram feridas.

O Brasil ficou chocado e consternado com a morte de jogadores, jornalistas, dirigentes, funcionários do clube e do avião. Uma tragédia que não poderia ter acontecido. Um time que tinha sonhos e projetos. Um time fundado em 1973 e 43 anos depois, já estava disputando uma final de torneio internacional – Copa Sul-Americana – tão importante para a sua história.

Uma tragédia que o Brasil chorou, e se emocionou, como foi em maio de 1994, com a morte do Ayrton Senna, que pegou de surpresa todos os brasileiros e amantes do seu automobilismo. Assim foi o mesmo com o acidente da “chape”, quando ninguém pudesse presenciar esse fato desolador.

Uma morte que fez o clube ficar ainda mais grande, e por que não virar o novo xodó do Brasil? Talvez essa tragédia pode fazer a gente refletir até onde vai o amor e o ódio. Vendo torcedores organizados de São Paulo se reunindo para homenagear os mortos do acidente, que é algo quase que surreal...

Fato é, a Chapecoense se tornou um símbolo de boa gestão, organização, administração e companheirismo entre atletas, funcionários e dirigentes. Esse mesmo clube que era respeitado pelos outros clubes “gigantes” do nosso futebol, era rotulado como um time que nunca caiu da primeira para a segunda divisão – São Paulo, Santos, Cruzeiro, Internacional e Flamengo nunca caíram.

A Semana começou verde, mas terminou com um verde de esperança e paixão pela CHAPECOENSE. 


Elenco da Chapecoense enfileirado para a foto para um jogo da Copa Sul-Americana (FOTO: UOL)

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Edifício Altino Arantes “banespão” completa 69 anos de beleza e modernidade

O projeto do edifício foi modificado para fazer referência ao Empire State Building de Nova York Hoje o Edifício Altino Arantes completa 69 anos, falando pelo nome, ninguém deve saber qual prédio estou falando, mas se eu falar o “banespão”, todos irão saber. No dia 27 de junho de 1947, a cidade de São Paulo ganhou um presente de 161 metros de altura, superando o Edifício Martinelli com 130 metros. O Edifício Altino Arantes se tornou em pouco tempo, o símbolo da cidade de São Paulo e o coração da cidade de São Paulo. A história começou quando o Banco do Estado de São Paulo (Banespa) ficava na Praça Ramos de Azevedo, longe do centro financeiro da cidade – na época ficava nas ruas São Bento e XV de Novembro. Para ficar próximo ao centro comercial, os diretores do banco fizeram uma parceria com a Santa Casa da Misericórdia e compraram alguns imóveis. Com a demolição de algumas casas, foi erguido o edifício na Rua João Brícola, se tornando o maior prédio do Brasil, com seus 161

Palmeiras avassalador não dá chances para o São Paulo no Morumbi

Em clássico quente e disputa pelas primeiras posições, Palmeiras leva a melhor e quebra mais um tabu no ano. Torcida do São Paulo lota o Morumbi para ver mais um tropeço do time (FOTO: Eduardo Pires) Os 56.694 são paulinos que foram até o Estádio do Morumbi viram os 16 anos de tabu cair por terra. Os palmeirenses comemoram a vitória em mais um clássico, e de quebra a liderança folgada no Campeonato Brasileiro. Agora já são três pontos que separam o time alviverde para o Internacional, 56 contra 53. O time escalado por Felipão mesclando o time titular com jogadores “reservas” anularam totalmente o time do São Paulo. Diego Aguirre deixou no banco Everton e Arboleda, e apostou nas entradas de Rodrigo Caio e Bruno Alves, assim jogando com três zagueiros. Isso foi avassalador para o Palmeiras se sentir em casa e comandar a vitória no primeiro tempo. Meio-campo forte com Felipe Melo, Moises e Lucas Lima, Felipão viu a sua equipe ter toque de bola refinado e tranquilidade

19° PARADA DO ORGULHO LGBT 2015

Avenida Paulista recebeu hoje o 19° Parada do Orgulho LGBT (Lésbica, Gay, Bisexual, Transexual), o evento é um dos mais importantes no calendário paulistano e todo ano toma conta da maior avenida do pais com festa, divertimento e músicas com os dezoito trios elétricos espalhados pela avenida. A via foi fechada por volta das 11h00 e as ruas que cruzam também foram bloqueadas, aos poucos a paulista foi ganhando forma com seus frequentadores com os trajes típicos e também pelos simpatizantes. Marta Suplicy e Eduardo Suplicy em cima de um dos trios elétricos (FOTO: Eduardo Pires) A Parada começou 12:30 com o primeiro trio elétrico saindo do MASP e seguindo para a consolação, em cima estava a ex-prefeita Marta Suplicy e o ex-senador Eduardo Suplicy dando as palavras contra o preconceito. Com o tempo a paulista foi ganhando mais frequentadores e consequentemente os furtos e assalto, o Marcelo de 52 anos disse que a Parada não é uma luta por um ideal. “ Gostaria de um pouco menos