Pular para o conteúdo principal

A semana começou verde, terminou mais verde ainda

Título do Palmeiras e a tragédia da chapecoense fizeram todos adotar a cor verde como a segunda pele.

Um título que o torcedor palmeirense não via há 22 anos, o campeonato brasileiro conquistado em 1994 pelo verdão foi deixado para trás no último domingo (27/11), quando o time alviverde conquistou o seu nono título brasileiro, e o seu décimo terceiro título nacional (9 Campeonatos Brasileiros, 3 Copas do Brasil e 1 Copa dos Campeões).

A segunda-feira (28/11) começou bonito na cidade de São Paulo, todo mundo verde de alegria, felicidade e em paz. Camisetas do Palmeiras fizeram não só os paulistanos, mas o Brasil inteiro um pouco mais verde. Quis o destino que poucas horas depois da conquista, o Brasil e o mundo virasse os olhares para um time também verde.

Na terça-feira logo de manhã, todos ficaram perplexos com a tragédia em torno do voo da LaMia 2933, que saiu da cidade de Santa Cruz de La Sierra, na Bolívia, e tinha como destino a cidade de Medellín, na Colômbia. Mas o voo foi interrompido na Cerra Gordo, onde o avião acabou se chocando com o morro, vitimando 77 pessoas, onde 71 perderam as suas vidas e outras 6 ficaram feridas.

O Brasil ficou chocado e consternado com a morte de jogadores, jornalistas, dirigentes, funcionários do clube e do avião. Uma tragédia que não poderia ter acontecido. Um time que tinha sonhos e projetos. Um time fundado em 1973 e 43 anos depois, já estava disputando uma final de torneio internacional – Copa Sul-Americana – tão importante para a sua história.

Uma tragédia que o Brasil chorou, e se emocionou, como foi em maio de 1994, com a morte do Ayrton Senna, que pegou de surpresa todos os brasileiros e amantes do seu automobilismo. Assim foi o mesmo com o acidente da “chape”, quando ninguém pudesse presenciar esse fato desolador.

Uma morte que fez o clube ficar ainda mais grande, e por que não virar o novo xodó do Brasil? Talvez essa tragédia pode fazer a gente refletir até onde vai o amor e o ódio. Vendo torcedores organizados de São Paulo se reunindo para homenagear os mortos do acidente, que é algo quase que surreal...

Fato é, a Chapecoense se tornou um símbolo de boa gestão, organização, administração e companheirismo entre atletas, funcionários e dirigentes. Esse mesmo clube que era respeitado pelos outros clubes “gigantes” do nosso futebol, era rotulado como um time que nunca caiu da primeira para a segunda divisão – São Paulo, Santos, Cruzeiro, Internacional e Flamengo nunca caíram.

A Semana começou verde, mas terminou com um verde de esperança e paixão pela CHAPECOENSE. 


Elenco da Chapecoense enfileirado para a foto para um jogo da Copa Sul-Americana (FOTO: UOL)

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Projeto Centro Aberto deixa a cidade de São Paulo mais harmonizada

Com cadeiras de praia e jogos de tabuleiro, as pessoas esquecem por alguns instantes a preocupação do dia a dia.



A cidade de São Paulo está ganhando nova cara. Jogos de tabuleiro como: dominó, dama e xadrez, e mesas de ping pong, ilustra a cidade com ar de lazer e aos poucos tirar a marca registrada da cidade, considerada uma “selva de pedra”.
O projeto Centro Aberto dá a oportunidade para os pedestres relaxar quando estiverem cansados, ou até mesmo, sair do serviço e jogar um jogo de tabuleiro de xadrez gigante para esquecer os dias corridos que a capital paulista proporciona. Desenvolvido e implantado por meio de colaboração de diversas secretárias municipais como: Secretária de Desenvolvimento Urbano, Secretária de Serviços, Secretária de Assistência e Desenvolvimento Social, Secretária de Direitos Humanos e Cidadania, Secretária de Segurança Urbana e Secretária de Cultura.O Centro Aberto também recebeu apoio do Metrô, que cedeu lugares para as construções das praças.
Cadeiras de prai…
Em algumas partes, o cemitério mostra o estado de abandono.

A cidade de Poá, localizada na Grande São Paulo, tem mais de 115 mil habitantes, segundo pesquisa feito pelo IBGE, em 2017.
Na década de 60 e 70, a cidade tinha cara de munício interiorano. Mas o tempo passou, com a pouca distância até a capital paulista (30 km) e o comércio chegando na cidade, Poá ganhou estados de cidade “grande”.
A Criminalidade de diversos tipos, vandalismos e a falta de segurança invadiram a cidade Os munícipes ficarem atentos à sua segurança como circuito de segurança nas casas e comércios, aumentar os muros e até colocar seguranças particulares em algumas ruas.
Mas é aqueles que já morreram? Será que eles se livraram dos maus hábitos dos seres humanos que estão na Terra? A resposta é simples, não!
O Cemitério Municipal de Poá, localizado no bairro Água Vermelha, está sofrendo vandalismo no ossário e em alguns túmulos. No prédio onde guarda boa parte dos ossos daqueles que já foram, está completamente em est…

Investigação do NI denúncia nutrição de hospital particular de SP

Nutrição do Hospital Santa Clara e suas más condições de trabalho

Mamão estragada sendo entregue para pacientes e acompanhantes (FOTO: Eduardo Pires) Frutas estragadas; verduras apodrecendo; panelas sujas; vasilhas e panelas com urinas e fezes de ratos; carne vencida sendo entregues para pacientes, acompanhantes e funcionários; ratoeiras no estoque de alimentos do setor de nutrição; embalagens roídas pelos ratos que andam pelos lugares da cozinha, estoque e corredor do setor; alimentos sendo armazenados de forma incorreta, fazendo com que os produtos ficam expostos as bactérias e fungos do lugar; entre outros agravantes.
Esses casos ocorreram até o dia 30 de outubro no Hospital Santa Clara, na Vila Matilde, Zona Leste de São Paulo. Infestações de baratas, ratos, mosquitos e cupins fizeram do lugar uma desordem. Até o último dia do mês 10, a cozinha do hospital viveu dias de caos e funcionários convivendo com todo este tipo de infrações graves. Responsáveis pelo setor e também do hospital…